Região de Bolama-Bijagós

A Região Bolama-Bijagós não fazia parte do projecto, por diversas razões. Inesperadamente surgiu uma oportunidade para visitar a ilha de Orango e decidimos tentar estender a nossa recolha a este território. O mosaico cultural guineense ficaria muito mais completo.

Orango é a maior ilha do arquipélago e a mais distante do continente. Conhecida pelos seus hipopótamos marinhos e tartarugas que aí vão desovar, integra um Parque Nacional com o mesmo nome. É também nesta ilha que viveu e está sepultada a rainha bijagó Okinka Pampa. Esta rainha é venerada por ter dificultado a colonização portuguesa, tendo conseguido um acordo de paz que protegia o seu povo.

Partimos para a ilha de Orango na manhã do dia 9 de Junho. Apanhámos o barco do Orango Parque Hotel em Quinhamel e após cerca de 4 horas, embalados pelo mar e fascinados com a beleza dos mangues, pelicanos, praias, golfinhos, ilhas, como que vivendo um documentário do National Geographic, chegámos ao nosso destino.
No dia seguinte, acompanhados de Mariana Ferreira, musicóloga e responsável pelo Orango Parque Hotel, fomos à tabanca Eticoga, ao encontro de um grupo de mulheres e crianças. Com umas e outras gravámos canções cantadas em Bijagó, Crioulo e Português.

No dia 11 dissemos adeus a este pedaço do paraíso e regressámos ao continente e a Bissau.

Monday, 12 June, 2017|